Europa Itália

Um dia em Veneza

Em nossa passagem pela Itália, eu e Juliana dormimos uma noite em Veneza. Como estávamos com disposição para andar bastante, foi possível conhecer muitas coisas em um dia, porém foi uma cidade que gostaríamos de ter ficado mais tempo. Chegamos na manhã do dia 23/04/2015 e saímos no dia seguinte.

A ilha é incrível, o clima é extremamente agradável, conta com uma arquitetura singular e você acaba se encantando por cada canto que descobre. No final da página você encontra uma planilha com os gastos do período em que estávamos na cidade.

A chegada

Estávamos em Verona e nossa viagem foi bem tranquila. Saímos pela manhã e pegamos o trem por volta das 8h30 com destino a Veneza. Depois de pouco mais de 1h de viagem desembarcamos na estação Venezia Santa Lucia.

Por mais que já tenhamos visto fotos e vídeos na internet, nada se compara com o desembarque em Veneza. Ao sair da estação você já se depara com o grande canal e um tráfego intenso de Vaporettos, Gôndolas e outros barcos. Nós ficamos muito impressionados, pois tudo muito diferente do que já havíamos visto.

Vista para o canal no desembarque em Veneza.

Ao sair da estação de trem você já se depara com o grande canal e o fluxo intenso de barcos.

Atravessando a primeira ponte em Veneza.

Logo após sair da estação você já atravessa a primeira ponte em Veneza. Neste caso, sobre o canal principal que corta toda a ilha.

Passado o impacto inicial, seguimos caminhando para o nosso hotel, que fica próximo a Ponte Rialto. Resolvemos não utilizar nenhum barco e aproveitar para já ir conhecendo a cidade andando. Como Veneza tem um custo de vida um pouco mais alto que a média das cidades, foi também uma forma de economizar alguns Euros. Apesar de estar carregando uma mala enorme de rodinhas e ter que atravessar todas as zilhões de pontes com ela, o esforço valeu a pena. Conseguimos algumas fotos legais e já foi possível conhecer algumas coisas interessantes pelo caminho.

Caminhando pelas vielas da cidade.

Tanto na chegada quanto na saída da cidade, fizemos todo o trajeto a pé. Mesmo carregando esta “pequena” mala.

Hospedagem

Ficamos hospedados bem próximos a Ponte Rialto, no Hotel Ca’Leon Doro. O hotel é muito pequeno e possui apenas 3 quartos. Acabamos ficando com o quarto do último andar, que para nossa surpresa ainda tinha um terraço privado bem charmoso. Perfeito para uma noite romântica em Veneza, acompanhada de vinhos, pães e outras delícias italianas. Quando retornarmos a Veneza, com certeza será uma das opções de hospedagem.

Caso queira conhecer o hotel, aqui está o site dele: www.venezialeondoro.it

Conhecendo a cidade

Depois de deixar as malas no hotel, hora de conhecer a cidade. E para conhecer Veneza, nada melhor que andar a pé. Seguimos em direção a Piazza San Marco, que é o lugar mais movimentado e conhecido de Veneza.

Antes de chegar a praça, obviamente nos perdemos por alguns becos propositalmente, mas nada que uma consulta no GPS de vez em quando não ajudasse a tomar o rumo desejado.

No caminho, como já era hora do almoço, procuramos por algum restaurante. Já bem próximos a Piazza San Marco encontramos alguns restaurantes bem turistões (em alguns casos inclusive com cardápios em português e garçons que falavam português também).

Almoçamos muito bem e não pagamos um preço muito elevado considerando que era um restaurante tipicamente para turistas. A quantidade de comida nos deixou bastante satisfeitos e a comida era deliciosa. O restaurante se chama Marciana Ristorante. O cardápio e a localização exata podem ser encontrados no site dele. www.marcianavenice.com

Almoço em Veneza.

Frittura, um misto de camarões, lulas e peixe empanados. Um dos pratos mais gostosos de toda a viagem.

Barriga cheia e conta paga, era hora de seguir caminhando para nosso destino principal, a famosa Piazza San Marco. Cenário recente da minha imaginação, pois havia poucos meses que tinha lido o livro Inferno (Dan Brown). Como Veneza e principalmente a praça faziam parte do romance, já cheguei na praça imaginando cenas do livro.

A Piazza San Marco

A praça é enorme, rodeada de construções históricas como a imponente Basilica di San Marco, o Campanile di San Marco e o Palazzo Ducale. A sensação de estar ali era emocionante, pois sonhei muito com aquele momento.

Nossa primeira visita foi a basílica. O exterior e o interior são belíssimos. A basílica conta com uma arquitetura Bizantina e é tida como um dos melhores exemplos deste tipo de arquitetura. Grande parte dele é recoberta de mármore, pedras, ouro, bronze e alguns outros materiais. O melhor de tudo é que não há a necessidade de comprar ingressos para entrar no templo.

Além do interior da basílica, também visitamos um museu que fica na parte superior dela. Lá, pudemos conhecer algumas maquetes, roupas, livros, esculturas e alguns itens bem antigo que fizeram parte da história da basílica e da própria Veneza.

Em seguida fomos visitar o Campanile di San Marco. Do alto da torre de 98,6 metros de altura é possível ter uma visão panorâmica de toda a ilha. Durante nossa visita o vento estava forte e muito frio lá no alto. Seria bom se tivéssemos levado algum casaco, pois a Juliana não aguentou ficar muito tempo lá em cima. Ficamos apenas uns 10 minutos e descemos. Mesmo assim foi suficiente para apreciar a bela vista.

Depois da torre fomos para o Palazzo Ducale. Por fora o palácio tem uma arquitetura muito próxima a da basílica. Por dentro não podemos falar, pois achamos que o ingresso estava muito caro e precisávamos economizar para o restante da nossa viagem.

Vista da Piazza San Marco a partir do Campanile di San Marco.

Vista da Piazza San Marco a partir do Campanile di San Marco.

Vista da Basílica de Santa Maria della Salute a partir do Campanile di San Marco.

Vista da Basílica de Santa Maria della Salute a partir do Campanile di San Marco.

Parte da Piazza San Marco que tem saída para o grande canal.

Parte da Piazza San Marco que tem saída para o grande canal.

Vista lateral do Palazzo Ducale.

Palazzo Ducale e sua arquitetura bizantina. O local foi o centro do poder dos doges venezianos.

Após as visitas, ficamos andando um pouco pela praça, seguimos para a beira do canal, passamos pela Ponte dei Sospiri (Ponte dos Suspiros) e acabamos entrando pelos becos novamente. Nessa brincadeira, conhecemos muitas lojas interessantes, passamos por algumas praças e por volta das 19h estávamos de volta ao hotel.

Depois de tomar um banho e descansar um pouco, seguimos para a rua a procura de um local pra jantar. Como estávamos em nosso segundo dia de viagem pela Itália, ainda não estávamos acostumados com tantos imigrantes que vivem da economia informal. Eles vendem selfie sticks (o famoso pau de selfie), brinquedos, óculos de sol, rosas e outras bugigangas mais. Em geral os que vendem rosas são muito chatos. Bastavam olhar para eu e Juliana de mãos dadas ou nos beijando que eles já vinham jogando rosas em cima de nós. Se você não quiser comprar, seja firme no seu “não”, pois eles são muito insistentes.

De volta a Piazza San Marco, nos deparamos com uma cena que ficou marcada em nossa viagem. De cada lado da praça, dois grupos de músicos que tocavam em restaurantes disputavam a atenção de quem passava por alí. Era uma música mais linda que a outra. Pudemos curtir uma música clássica bem alí, a céu aberto, comendo o lanche que havíamos comprado no caminho e o melhor de tudo, sem precisar pagar nada.

Já por volta da meia-noite retornamos ao hotel. As ruas já estavam muito vazias, mas por incrível que pareça não é necessário se preocupar com a falta de segurança como se estivesse no Brasil. A sensação de segurança é enorme e você pode andar despreocupado.

No dia seguinte levantamos cedo e seguimos andando para a estação de trem. A grande maioria das lojas ainda estava fechada. No caminho passamos por um mercado de peixes e entramos para conhecer (Juliana ama mercados de peixe). Após chegar na estação, compramos nossas passagens e seguimos em direção a Bologna.

Assim chegou ao fim nossa maravilhosa estadia em Veneza. Uma cidade que vai ficar guardada para sempre em nossos corações.

Gastos

  • Passagens de trem Frecciabianca (Verona x Veneza) = €46
  • Hospedagem = €100 + €2,50 (taxa de turismo)
  • Almoço = €36 + €4 (serviço)
  • Campanile San Marco = €16
  • Museu da Basílica de San Marco = €10
  • Pingente de Murano = €6
  • Sorvetes = €4
  • Supermercado = €9,30
  • Lanche = €10

TOTAL DE GASTOS = €243,80

 

Mais fotos do nosso dia pela cidade

Você também vai gostar

5 Comentários

  • Reply
    Ricardo
    19 de abril de 2017 at 22:57

    Boa tarde Diego,

    Quantos dias vocês ficaram na Itália e qual foi o custo total da viagem em euros? Vou ficar 2 semanas lá, com tudo pago como hospedagem, locomoção, quase todos os passeios…. acho que 2mil euros seria suficiente né?

    Obrigado

    • Reply
      Diego Faria
      21 de abril de 2017 at 09:09

      Olá Ricardo,
      Fiquei com uma dúvida. A hospedagem, locomoção e os passeios já estão pagos? Esse valor seria para o restante?
      Se for isso mesmo, o valor de 2000 Euros é bem tranquilo para ficar as duas semanas.

      Eu fiquei 21 dias com custo total em torno de 7.500 Euros, incluindo aéreo. Foi uma viagem de lua de mel, mas de qualquer forma poderia ter sido mais barata.

      Abraços e obrigado pela visita.

      • Reply
        Ricardo
        21 de abril de 2017 at 10:28

        Bom dia,

        Obrigado pela resposta! Sim, os passeios, locomoção entre cidades e hospedagem já está pago. Vou gastar com transporte de trem regional que o preço é menor e com alimentação. Será um casal.

  • Reply
    Vanessa
    11 de agosto de 2017 at 19:43

    Oi Diego boa noite

    A hospedagem vc ja fechou aqui no Brasil ?

    • Reply
      Diego Faria
      12 de agosto de 2017 at 07:39

      Oi Vanessa,
      Isso mesmo, a hospedagem eu fechei no Brasil pelo Booking.com.
      Eu fiquei no Ca’ Leon D’oro e gostei muito. Fica muito bem localizado e perto de um monte de coisas.

      Obrigado pela visita e fique a vontade para enviar mais dúvidas 🙂

    Envie um comentário